ShowList Banner

Lista de Banner

  • Web - World Wide Web

    A World Wide Web (que em português significa, "Rede de alcance mundial", também conhecida como Web e WWW) é um sistema de documentos em hipermídia que são interligados e executados na Internet.

    http://www.naninho.blog.br/web.html

  • Saúde

    Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças (OMS - Organização Mundial da Saúde).

    http://www.naninho.blog.br/saude.html

  • Hemodiálise

    A hemodiálise é um tratamento que consite na remoção do líquido e substâncias tóxicas do sangue com um rim artificial.

    http://www.naninho.blog.br/saude/hemodialise.html

  • Transplantes

    Chama-se transplantação, ou simplesmente transplante, o ato de colher um órgão ou tecido, ou parte deles, de um indivíduo (doador) e implantá-lo(s) em outro indivíduo (receptor) (ou, no caso de tecidos, no próprio doador).

    http://www.naninho.blog.br/saude/transplantes.html

HomeTag
educação coletiva
transplante

Chama-se transplantação, ou simplesmente transplante, o ato de colher um órgão ou tecido, ou parte deles, de um indivíduo (doador) e implantá-lo(s) em outro indivíduo (receptor) (ou, no caso de tecidos, no próprio doador).

Facebook anuncia opção de doação de órgãos no perfil da rede social

 

Usuário poderá especificar quando se registrou para doar órgãos. Rede social não divulgou em quais países a opção está disponível.

Já gostava muito da rede social mais famosa e acessada do mundo, o Facebook. Mas agora virei fã e admirador depois da notícia da nova, incrível e solidária funcionalidade da rede, o Organ Donor (Doador de órgãos).

A ideia é o usuário dizer publicamente aos seus amigos que é um doador de órgãos.

Com isso fica registrado perante vários amigos a vontade e solidariedade da pessoa em doar os seus órgão e salvar vidas se o pior acontecer, não ficando mais por conta da família, que por muitas vezes não concordam em doar os órgãos por falta de informação mesmo que a pessoa tenha dito que queria doar.

facebook-doacao-de-orgaos

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou o plano da empresa de incentivar os usuários a compartilhar suas informações sobre doação de órgãos na rede social, junto com sua data de nascimento e escolaridade. A partir desta terça-feira (1), os usuários poderão dizer na linha do tempo se são doadores de órgãos.

"O que nos impressionou nos últimos oito anos foi como as pessoas usam essas ferramentas sociais para falar sobre questões e desafios importantes para suas comunidades", escreveu Zuckerberg, em um comunicado oficial.

"Hoje, mais de 114 mil pessoas nos Estados Unidos, e milhões em todo o mundo, estão à espera de um transplante de rim, coração ou fígado, que salvará suas vidas", acrescentou Zuckerberg. "E acreditamos que, simplesmente dizer às pessoas que você é um doador de órgãos, o poder de compartilhar e de se conectar, pode desempenhar um papel importante".

Leia mais...  

Órgão do doador some durante transplante de rim entre irmãos

 

Os irmãos estão processando o hospital e pedem R$ 1.200.000 de indenização.

No programa de 22 de abril de 2012 o Fantástico da Rede Globo de Televisão mostrou uma reportagem denunciando um vergonhoso caso do sumiço de um órgão durante um transplante renal entre irmãos em São Luís no Maranhão. Um completo absurdo e uma vergonha nacional. Eu sou transplantado renal e sei o quanto sofremos fazendo diálise ou hemodiálise e o transplante é uma esperança de termos uma qualidade de vida melhor. Tem que ser apurado e investigado e os culpados punidos com o maior rigor. Veja a reportagem e o vídeo na íntegra.

Leia mais...  

Filme oficial da campanha de doação de órgãos de 2011

Mensagem de um doador anônimo:

Deixo minha visão ao homem que jamais viu o amanhecer nos braços da mulher amada.

Deixo o meu coração à mulher que vive exclusivamente para fazer o coração de seu filho feliz.

Deixo meu rins a pessoas que tiveram seus sonhos interrompidos, mas que ainda os cultivam.

Leia mais...  

Atos simples e tão complexos

 

Urinar e tomar água são tarefas tão simples que, muitas vezes, ganham pouco destaque na rotina das pessoas. No entanto, para o estudante de sistema de informação Luiz Ernani de Lima Junior, de 24 anos, foi uma das melhores coisas que fez nos últimos dois anos.

Em 15 de fevereiro, ele recebeu um rim da irmã Ana Paula, de 22, em um transplante bem-sucedido, no Hospital Felício Rocho. Os atos tão simples são importantes, porque, para as pessoas com insuficiência renal, o consumo de água é limitado. Eles também não fazem xixi.

Leia mais...  

O primeiro transplante renal

 

Antes de falar do primeiro transplante renal é imprescindível falar de um dos médicos coordenadores do fato histórico, o médico e escritor francês de origem judaica e considerado o fundador da moderna nefrologia Jean Hamburger (1909-1992). (TUOTO, 2009).

Jean introduziu o termo "nefrologia" no I Congresso Internacional de Nefrologia em Evian/Genebra, em 1960. Realizou grande parte de suas pesquisa como chefe do departamento de nefrologia que criou em 1952 no Hospital Necker em Paris. (TUOTO, 2009).

Coordenou a criação de uma das duas primeiras máquinas de hemodiálise do mundo, na década de 1940. A primeira máquina de hemodiálise da França foi colocada em atividade em 1955. A máquina de hemodiálise pioneira do mundo foi criada pelo holandês naturalizado norte-americano Willem J. Kolff (1911-2009) em 1941, na Holanda. (TUOTO, 2009).

Leia mais...  

Depoimento de Rogério Ramos - Meu transplante não funcionou

 

Oito anos dependendo três vezes por semana durante 4 horas da máquina de hemodiálise com várias internações causadas pela insuficiência renal crônica, chegou a minha vez em 09 de Dezembro de 2010.

Duas horas da manhã o Hospital do Rim de São Paulo me ligou dizendo que tinham um rim para mim! Liguei para um amigo que mais feliz do que eu foi correndo me levar. Onze horas da manhã, fui para a cirurgia, recebi anestesia geral e quando acordei à noite já estava transplantado!

Dava risada sozinho e agradecendo e dizendo:

- Obrigado meu Deus, estou livre da máquina!

Leia mais...  

Depoimento de Rita de Cássia – Transplante Duplo

 


A vida é simplesmente cheia de desafios. E com certeza, a cada desafio superado, a cada dificuldade vencida, percebemos a existência de Deus e passamos a acreditar cada dia mais nos Milagres Divinos.

Digo orgulhosamente que sou uma pessoa extremamente abençoada e carrego comigo cicatrizes que servem como troféus recebidos das Mãos de Deus. Bênçãos divinas acontecem a cada instante em minha vida. Vou tentar deixar aqui um pouco da minha experiência de vida e as grandiosas benções recebidas nesses 31 anos de vida.

Meu nome é Rita de Cássia, sou filha única, tenho 31 anos e aos 14, na adolescência descobri uma doença hepática auto-imune e desde então começou a minha luta contra a doença. Fiquei internada 4 meses em Belo Horizonte até o diagnóstico da hepatite auto-imune e meu pai e minha mãe revezavam para ficar comigo.

O médico que deu meu diagnóstico em BH disse para minha mãe que futuramente eu iria precisar fazer um transplante hepático. O chão caiu, porque pouco se falava em transplante e parecia história de novela. Minha mãe foi orientada a procurar o Hospital das Clínicas de São Paulo, por ser referência em Transplantes no Brasil e assim ela fez.

Leia mais...  

Depoimento de um transplantado

 

Eu, Luiz Ernani – Naninho tinha 22 anos quando tudo aconteceu. Era um jovem sonhador, feliz com a vida e correndo atrás dos meus sonhos e sempre buscando a felicidade com muita luta e suor. Foi quando comecei a me sentir mal, minhas forças se esgotavam e tinha cada vez mais dificuldades em alcançar os meus objetivos.

 

No final do ano de 2005, um dos anos mais difíceis da minha vida, minhas forças já estavam quase no limite. Pedi pra sair na empresa onde trabalhava e decidi fazer uma viagem para o litoral com minhas últimas forças. Sempre tive um pensamento positivo e acreditei na vida, porém nunca tinha sentido nada daquilo antes e sabia que o pior poderia acontecer, então decidi antecipar a realização de um sonho, conhecer o mar.

 

Quando voltei para casa em janeiro de 2006 já estava praticamente sem forças, com o corpo inchado, principalmente pés, mãos e rosto, coceira nas pernas, cansaço, aceleração cardíaca, fortes câimbras, anêmico, a uréia saindo até pela boca dentre outros sintomas.

 

Foi quando fui ao médico e ele me explicou com detalhes a minha doença e disse as palavras mais impactantes que já escutei: "Você tem uma doença que não tem cura". Tudo desabou. Para um jovem de 22 anos, com toda a vida e sonhos pela frente, escutar isso não foi fácil.

 

Eu já sabia que tinha uma doença nos rins, mas não sabia a tamanha gravidade da mesma. Descobri que tinha insuficiência renal crônica, os meus rins tiveram uma infecção quando era criança e que naquele momento as suas funções excretoras tinham sido totalmente prejudicadas, ou seja, os rins já não funcionavam mais.

 

Leia mais...  
Google